Vacinas

16_16 Função das vacinas
A vacina estimula a defesa do corpo contra os microrganismos (vírus e bactérias) que provocam doenças e podem ser produzidas a partir de microrganismos enfraquecidos, mortos ou a partir de alguns de seus derivados.
Quando uma pessoa é vacinada, seu corpo detecta a substância da vacina e produz uma defesa, que são os chamados anticorpos. Chamamos de imunidade quando esses anticorpos permanecem no organismo e evitam que a doença ocorra no futuro, por meio da memória imunológica.

16_16 Reações adversas
Geralmente todas as vacinas atuais são muito seguras e apresentam poucos efeitos colaterais. Porém, como qualquer outro medicamento, podem desencadear reações ou efeitos indesejáveis após a aplicação. Por serem causados por componentes da própria vacina, na maioria das vezes estes eventos são esperados, inevitáveis e leves, sem consequências permanentes e de curta duração, tais como febre, mal-estar ou dores no corpo e/ou no local de aplicação.
Reações de hipersensibilidade aos componentes de vacina são raras. Na maioria das vezes, esses efeitos são bem tolerados e rapidamente controlados com analgésicos e antitérmicos. Existem, porém, algumas complicações mais sérias que devem ser acompanhadas pelo médico, necessitando, às vezes, de tratamento específico.
Existem vacinas que possuem características específicas que diminuem muito as chances de efeitos colaterais.

16_16 Quando devemos ser vacinados
As vacinas são necessárias em todas as idades. Os idosos precisam se proteger contra gripe, pneumonia e tétano, e as mulheres em idade fértil devem tomar vacinas contra rubéola e tétano, que, se ocorrerem enquanto elas estiverem grávidas ou logo após o parto, podem causar doenças graves ou até a morte de seus bebês.
Os profissionais de saúde, as pessoas que viajam muito e alguns outros grupos de pessoas, com características específicas também têm recomendações especiais para tomarem vacinas.
Na Clínica CIAM você encontra vacinas específicas para cada tipo de doença de acordo com a faixa etária e a aplicação é realizada exclusivamente pelos médicos capacitados.

16_16 Veja o Calendário de Vacinas e preste atenção às datas:

Calendário para crianças até 10 anos de idade:


Calendário vacinal do Adolescente:

Ao nascer

BCG-ID (Dose única)

É a vacina que protege contra as formas graves de tuberculose, doença ainda muito comum em nosso país. É produzida com uma forma atenuada do bacilo (bactéria) causadora da doença. Essa vacina não costuma provocar reações imediatas, mas depois de 2 a 3 semanas pode haver uma reação no local de aplicação, com o aparecimento de um nódulo que evolui para uma cicatriz. É aplicada em dose única, no braço direito, logo após o nascimento.

Hepatite B (1ª dose)

A Hepatite B o contágio se dá, principalmente, através de contato com o sangue contaminado e prática sexual, com pessoas portadoras do vírus da hepatite B. A Hepatite B no Brasil mata 04 vezes mais do que a AIDS. Existem vacinas combinadas para Hepatite A e B e Hepatite B para adultos e crianças.

Nas áreas de alta prevalência, deve-se também vacinar as crianças com 6-7 anos de idade, por ocasião da entrada na escola, caso não tenham registro de esquema vacinal completo contra a hepatite B.

Outros grupos priorizados para a vacinação são os grupos de risco, compreendendo hemofílicos, usuários de hemodiálise, portadores de outras doenças que implicam alto risco de transfusões de sangue ou utilização de produtos sangüíneos, profissionais de saúde, comunicantes domiciliares de portadores, reclusos e participantes de outras comunidades fechadas, prostitutas e homossexuais masculinos.

Idade de aplicação
Iniciar de preferência logo após o nascimento, nas primeiras 12 horas de vida, para evitar a transmissão vertical. Caso isso não tenha sido possível, iniciar o mais precocemente possível, na unidade neonatal ou na primeira visita ao pediatra. A vacina contra hepatite B pode ser administrada em qualquer idade e simultaneamente com outras vacinas do calendário.

Via de administração
Intramuscular profunda, no vasto lateral da coxa. Em crianças com mais de dois anos de idade, pode ser aplicada na região deltóide. Não deve ser aplicada na região glútea, pois a adoção desse procedimento se associa com menor produção de anticorpos, pelo menos em adultos.

2º mês

Hexavalente (1ª dose)

Vacina combinada contra 6 doenças:
DPTa –Protege contra difteria (crupe), tétano e coqueluche (tosse comprida). É uma combinação de duas toxinas inativadas (tétano e difteria) e de produtos da bactéria causadora da coqueluche. Com sua forma acelular (contém alguns produtos purificados da bactéria da coqueluche), as reações, geralmente, são muito mais leves.

HIB-
Protege contra a bactéria Haemophilus B, que é responsável por doenças como meningite, pneumonia e epiglotite (inflamação da garganta, que leva à falta de ar .

Hepatite B-
É a vacina que protege contra a hepatite B, uma forma de infecção viral que pode ser adquirida em qualquer momento da vida. Ela é produzida com uma “parte” do vírus que causa a doença.

Salk (VIP)- Protege contra a paralisia infantil. Produzida com o vírus inativado

Deve ser aplicada aos 2 meses e 6 meses de idade.

Antipneumocócica conjugada (1a dose)

Protege contra o pneumococo, bactéria que causa meningite e pneumonia. A vacina conjugada é feita com 13 sorotipos de pneumococo. Deve ser administrada em 3 doses e Reforços.

Rotavírus (1ª dose)

É uma vacina que protege contra o rotavírus, agente que causa diarreia entre as crianças. É uma vacina com vírus atenuado e deve ser administrada por via oral em 2 doses.Em clínicas particulares realiza-se a com 5 Cepas que conferem maior proteção e inclui uma terceira dose.

3º mês

Antimeningocócica B

Meningocócica B recombinante – Recomenda-se o uso da vacina meningocócica B recombinante para lactentes a partir de 2 meses de idade, crianças e adolescentes. Para os lactentes que iniciam a vacinação entre 2 e 5 meses de idade, são recomendadas três doses, com a primeira dose a partir dos 2 meses e com pelo menos 2 meses de intervalo entre elas e uma dose de reforço entre 12 e 23 meses de idade. Para os lactentes que iniciam a vacinação entre 6 e 11 meses, duas doses da vacina são recomendadas, com dois meses de intervalo entre elas, com uma dose de reforço no segundo ano de vida. Para crianças que iniciam a vacinação entre 1 e 10 anos de idade, são indicadas duas doses, com pelo menos 2 meses de intervalo entre elas. Para os adolescentes e adultos são indicadas duas doses com pelo menos 1 mês de intervalo entre elas. Não há dados disponíveis para adultos acima de 50 anos de idade.

Antimeningocócica ACWY

A doença meningocócica é transmitida por um grupo de bactérias chamadas meningococos – daí a origem do nome meningocócica.

Ela provoca uma inflamação na membrana que envolve o cérebro e a medula espinhal (meninge). Repentina e de rápida evolução, pode levar à morte entre 24 e 48 horas a partir do aparecimento dos primeiros sintomas – fraqueza, febre, dor de cabeça, vômitos e, mais tarde, rigidez na nuca, sintomas que são inespecíficos e podem se confundir com os de outras doenças como viroses, por exemplo.

Quando o desfecho não é fatal, podem ocorrer sequelas tais como danos cerebrais, dificuldades no aprendizado, perdas de membros e da audição.

A vacina meningocócica ACWY foi desenvolvida para proteger contra quatro dos cinco principais sorogrupos responsáveis pela doença meningocócica invasiva, a forma mais grave da doença, sendo fatal em 10% dos casos em centros de excelência no mundo, mas que pode chegar a uma mortalidade de até 40%. A vacina pode ser aplicada em crianças, adultos e adolescentes a partir de 2 meses de idade.

Antimeningocócica C conjugada (1ª dose)

Protege contra o meningococo C, um dos agentes que causam a meningite meningocócica. Deve ser administrada em 2 doses e Reforços.

4º mês

Pentavalente (2ª dose)

Vacina combinada contra 5 doenças:
DPTa –Protege contra difteria (crupe), tétano e coqueluche (tosse comprida). É uma combinação de duas toxinas inativadas (tétano e difteria) e de produtos da bactéria causadora da coqueluche. Com sua forma acelular (contém alguns produtos purificados da bactéria da coqueluche), as reações, geralmente, são muito mais leves.

HIB-Protege contra a bactéria Haemophilus B, que é responsável por doenças como meningite, pneumonia e epiglotite (inflamação da garganta, que leva à falta de ar .

Salk (VIP)- Protege contra a paralisia infantil. Produzida com o vírus inativado.

Deve ser aplicada aos 4 meses, 15 meses e 5 anos de idade.

Antipneumocócica conjugada (2ª dose)

Protege contra o pneumococo, bactéria que causa meningite e pneumonia. A vacina conjugada é feita com 13 sorotipos de pneumococo. Deve ser administrada em 3 doses e Reforços.

Rotavírus (2ª dose)

Protege contra o meningococo C, um dos agentes que causam a meningite meningocócica. Deve ser administrada em 2 doses e Reforços.

5º mês

Antimeningocócica B

Meningocócica B recombinante – Recomenda-se o uso da vacina meningocócica B recombinante para lactentes a partir de 2 meses de idade, crianças e adolescentes. Para os lactentes que iniciam a vacinação entre 2 e 5 meses de idade, são recomendadas três doses, com a primeira dose a partir dos 2 meses e com pelo menos 2 meses de intervalo entre elas e uma dose de reforço entre 12 e 23 meses de idade. Para os lactentes que iniciam a vacinação entre 6 e 11 meses, duas doses da vacina são recomendadas, com dois meses de intervalo entre elas, com uma dose de reforço no segundo ano de vida. Para crianças que iniciam a vacinação entre 1 e 10 anos de idade, são indicadas duas doses, com pelo menos 2 meses de intervalo entre elas. Para os adolescentes e adultos são indicadas duas doses com pelo menos 1 mês de intervalo entre elas. Não há dados disponíveis para adultos acima de 50 anos de idade.

Antimeningocócica ACWY

A doença meningocócica é transmitida por um grupo de bactérias chamadas meningococos – daí a origem do nome meningocócica.

Ela provoca uma inflamação na membrana que envolve o cérebro e a medula espinhal (meninge). Repentina e de rápida evolução, pode levar à morte entre 24 e 48 horas a partir do aparecimento dos primeiros sintomas – fraqueza, febre, dor de cabeça, vômitos e, mais tarde, rigidez na nuca, sintomas que são inespecíficos e podem se confundir com os de outras doenças como viroses, por exemplo.

Quando o desfecho não é fatal, podem ocorrer sequelas tais como danos cerebrais, dificuldades no aprendizado, perdas de membros e da audição.

A vacina meningocócica ACWY foi desenvolvida para proteger contra quatro dos cinco principais sorogrupos responsáveis pela doença meningocócica invasiva, a forma mais grave da doença, sendo fatal em 10% dos casos em centros de excelência no mundo, mas que pode chegar a uma mortalidade de até 40%. A vacina pode ser aplicada em crianças, adultos e adolescentes a partir de 2 meses de idade.

Antimeningocócica C conjugada (2ª dose)

Protege contra o meningococo C, um dos agentes que causam a meningite meningocócica. Deve ser administrada em 2 doses e Reforços.

6º mês

Hexavalente (3ª dose)

Vacina combinada contra 6 doenças:
DPTa –Protege contra difteria (crupe), tétano e coqueluche (tosse comprida). É uma combinação de duas toxinas inativadas (tétano e difteria) e de produtos da bactéria causadora da coqueluche. Com sua forma acelular (contém alguns produtos purificados da bactéria da coqueluche), as reações, geralmente, são muito mais leves.

HIB-
Protege contra a bactéria Haemophilus B, que é responsável por doenças como meningite, pneumonia e epiglotite (inflamação da garganta, que leva à falta de ar .

Hepatite B-
É a vacina que protege contra a hepatite B, uma forma de infecção viral que pode ser adquirida em qualquer momento da vida. Ela é produzida com uma “parte” do vírus que causa a doença.

Salk (VIP)- Protege contra a paralisia infantil. Produzida com o vírus inativado

Deve ser aplicada aos 2 meses e 6 meses de idade.

Antipneumocócica conjugada (3ª dose)

Protege contra o pneumococo, bactéria que causa meningite e pneumonia. A vacina conjugada é feita com 13 sorotipos de pneumococo. Deve ser administrada em 3 doses e Reforços.

Gripe (1ª dose)

Protege de alguns tipos de vírus que causam a gripe. Como esses vírus sofrem modificações, a vacina deve ser feita em 2 doses aos 6 e 7 meses e repetida anualmente. É produzida com vírus morto.

Rotavírus (3ª dose)

É uma vacina que protege contra o rotavírus, agente que causa diarreia entre as crianças. É uma vacina com vírus atenuado e deve ser administrada por via oral em 2 doses.Em clínicas particulares realiza-se a com 5 Cepas que conferem maior proteção e inclui uma terceira dose.

7º mês

Antimeningocócica B

Meningocócica B recombinante – Recomenda-se o uso da vacina meningocócica B recombinante para lactentes a partir de 2 meses de idade, crianças e adolescentes. Para os lactentes que iniciam a vacinação entre 2 e 5 meses de idade, são recomendadas três doses, com a primeira dose a partir dos 2 meses e com pelo menos 2 meses de intervalo entre elas e uma dose de reforço entre 12 e 23 meses de idade. Para os lactentes que iniciam a vacinação entre 6 e 11 meses, duas doses da vacina são recomendadas, com dois meses de intervalo entre elas, com uma dose de reforço no segundo ano de vida. Para crianças que iniciam a vacinação entre 1 e 10 anos de idade, são indicadas duas doses, com pelo menos 2 meses de intervalo entre elas. Para os adolescentes e adultos são indicadas duas doses com pelo menos 1 mês de intervalo entre elas. Não há dados disponíveis para adultos acima de 50 anos de idade.

Gripe (2ª dose) (Repete-se anualmente no outono)

Protege de alguns tipos de vírus que causam a gripe. Como esses vírus sofrem modificações, a vacina deve ser feita em 2 doses aos 6 e 7 meses e repetida anualmente. É produzida com vírus morto.

12 meses

Antimeningocócica B

Meningocócica B recombinante – Recomenda-se o uso da vacina meningocócica B recombinante para lactentes a partir de 2 meses de idade, crianças e adolescentes. Para os lactentes que iniciam a vacinação entre 2 e 5 meses de idade, são recomendadas três doses, com a primeira dose a partir dos 2 meses e com pelo menos 2 meses de intervalo entre elas e uma dose de reforço entre 12 e 23 meses de idade. Para os lactentes que iniciam a vacinação entre 6 e 11 meses, duas doses da vacina são recomendadas, com dois meses de intervalo entre elas, com uma dose de reforço no segundo ano de vida. Para crianças que iniciam a vacinação entre 1 e 10 anos de idade, são indicadas duas doses, com pelo menos 2 meses de intervalo entre elas. Para os adolescentes e adultos são indicadas duas doses com pelo menos 1 mês de intervalo entre elas. Não há dados disponíveis para adultos acima de 50 anos de idade.

Gripe (Reforço anual)

Protege de alguns tipos de vírus que causam a gripe. Como esses vírus sofrem modificações, a vacina deve ser feita em 2 doses aos 6 e 7 meses e repetida anualmente. É produzida com vírus morto.

Antimeningocócica ACWY

A doença meningocócica é transmitida por um grupo de bactérias chamadas meningococos – daí a origem do nome meningocócica.

Ela provoca uma inflamação na membrana que envolve o cérebro e a medula espinhal (meninge). Repentina e de rápida evolução, pode levar à morte entre 24 e 48 horas a partir do aparecimento dos primeiros sintomas – fraqueza, febre, dor de cabeça, vômitos e, mais tarde, rigidez na nuca, sintomas que são inespecíficos e podem se confundir com os de outras doenças como viroses, por exemplo.

Quando o desfecho não é fatal, podem ocorrer sequelas tais como danos cerebrais, dificuldades no aprendizado, perdas de membros e da audição.

A vacina meningocócica ACWY foi desenvolvida para proteger contra quatro dos cinco principais sorogrupos responsáveis pela doença meningocócica invasiva, a forma mais grave da doença, sendo fatal em 10% dos casos em centros de excelência no mundo, mas que pode chegar a uma mortalidade de até 40%. A vacina pode ser aplicada em crianças, adultos e adolescentes a partir de 2 meses de idade.

SRC(Tríplice viral, MMR) (1ª dose)

Protege contra estas 3 infecções virais: o sarampo (doença exantemática que pode levar a complicações como pneumonias), a caxumba (inflamação da glândula parótida) e a rubéola (doença exantemática grave em mulheres grávidas). É produzida com vírus vivos atenuados. A imunização deve ser feita em duas doses, a primeira aos 12 meses de vida e a segunda entre 4 e 6 anos de idade.

Antimeningocócica C conjugada (Reforço)

Hepatite A (1ª dose)

É a vacina que protege contra a hepatite A, uma infecção viral que causa inflamação aguda do fígado. É produzida a partir do próprio vírus na sua forma inativa. Deve ser administrada em duas doses, com intervalo de 6 meses. A partir de 1 ano de idade.

Varicela (1ª dose)

Protege contra as formas graves de varicela (catapora), uma infecção viral que leva à formação de vesículas pelo corpo, com febre e queda do estado geral. É produzida com o vírus atenuado. A primeira dose é aplicada com 1 ano de idade e pode ser feito um reforço na fase pré-escolar.

15 meses

Pentavalente (4a dose)

Vacina combinada contra 5 doenças:
DPTa -Protege contra difteria (crupe), tétano e coqueluche (tosse comprida). É uma combinação de duas toxinas inativadas (tétano e difteria) e de produtos da bactéria causadora da coqueluche. Com sua forma acelular (contém alguns produtos purificados da bactéria da coqueluche), as reações, geralmente, são muito mais leves.

HIB-Protege contra a bactéria Haemophilus B, que é responsável por doenças como meningite, pneumonia e epiglotite (inflamação da garganta, que leva à falta de ar .

Salk (VIP)- Protege contra a paralisia infantil. Produzida com o vírus inativado.

Deve ser aplicada aos 4 meses, 15 meses

Antipneumocócica conjugada (Reforço)

Protege contra o pneumococo, bactéria que causa meningite e pneumonia. A vacina conjugada é feita com 13 sorotipos de pneumococo. Deve ser administrada em 3 doses e Reforços.

18 meses

Hepatite A (2ª dose)

É a vacina que protege contra a hepatite A, uma infecção viral que causa inflamação aguda do fígado. É produzida a partir do próprio vírus na sua forma inativa. Deve ser administrada em duas doses, com intervalo de 6 meses. A partir de 1 ano de idade.

5 anos

Tetravalente (Reforço)

Vacina combinada contra 4 doenças:
DPTa –Protege contra difteria (crupe), tétano e coqueluche (tosse comprida). É uma combinação de duas toxinas inativadas (tétano e difteria) e de produtos da bactéria causadora da coqueluche. Com sua forma acelular (contém alguns produtos purificados da bactéria da coqueluche), as reações, geralmente, são muito mais leves.

Salk (VIP)- Protege contra a paralisia infantil. Produzida com o vírus inativado.

Deve ser aplicada aos 5 anos de idade.

Gripe (Reforço anual)

Protege de alguns tipos de vírus que causam a gripe. Como esses vírus sofrem modificações, a vacina deve ser feita em 2 doses aos 6 e 7 meses e repetida anualmente. É produzida com vírus morto.

Antimeningocócica ACWY

A doença meningocócica é transmitida por um grupo de bactérias chamadas meningococos – daí a origem do nome meningocócica.

Ela provoca uma inflamação na membrana que envolve o cérebro e a medula espinhal (meninge). Repentina e de rápida evolução, pode levar à morte entre 24 e 48 horas a partir do aparecimento dos primeiros sintomas – fraqueza, febre, dor de cabeça, vômitos e, mais tarde, rigidez na nuca, sintomas que são inespecíficos e podem se confundir com os de outras doenças como viroses, por exemplo.

Quando o desfecho não é fatal, podem ocorrer sequelas tais como danos cerebrais, dificuldades no aprendizado, perdas de membros e da audição.

A vacina meningocócica ACWY foi desenvolvida para proteger contra quatro dos cinco principais sorogrupos responsáveis pela doença meningocócica invasiva, a forma mais grave da doença, sendo fatal em 10% dos casos em centros de excelência no mundo, mas que pode chegar a uma mortalidade de até 40%. A vacina pode ser aplicada em crianças, adultos e adolescentes a partir de 2 meses de idade.

Antipneumocócica conjugada (Reforço)

Protege contra o pneumococo, bactéria que causa meningite e pneumonia. A vacina conjugada é feita com 13 sorotipos de pneumococo. Deve ser administrada em 3 doses e Reforços.

Varicela (2ª dose)

Protege contra as formas graves de varicela (catapora), uma infecção viral que leva à formação de vesículas pelo corpo, com febre e queda do estado geral. É produzida com o vírus atenuado. A primeira dose é aplicada com 1 ano de idade e pode ser feito um reforço na fase pré-escolar.

SRC(Tríplice viral, MMR) (2a dose)

Protege contra estas 3 infecções virais: o sarampo (doença exantemática que pode levar a complicações como pneumonias), a caxumba (inflamação da glândula parótida) e a rubéola (doença exantemática grave em mulheres grávidas). É produzida com vírus vivos atenuados. A imunização deve ser feita em duas doses, a primeira aos 12 meses de vida e a segunda entre 4 e 6 anos de idade.

9 anos ou mais

Dengue (3 doses)

Vacina para pevenção da dengue causada pelos quatro sorotipos do vírus: DENV1, DENV2, DENV3 e DENV4. A eficácia para a prevenção da doença é de 65,5%. Já a proteção contra dengue grave e hemorrágica fica em torno de 93%. A vacina também se mostrou eficiente na redução dos índices de internação em mais de 80% dos casos.
Indicada para pessoas de 9 a 45 anos de idade.
Por se tratar de vacina atenuada (viva), é contraindicada em imunodeprimidos, gestantes e mulheres que estão amamentando. Também não deve ser aplicada em pessoas com mais de 45 anos ou crianças com menos de 9 anos de idade.
São necessárias três doses, com intervalo de seis meses entre elas.
Estudos demonstraram um padrão de segurança muito bom. Não foram identificados eventos adversos graves na faixa etária para a qual a vacina está licenciada. A maioria das reações foram leves, de curta duração e reversíveis, independentemente da população estudada e da idade, semelhantes aos eventos possíveis após a aplicação rotineira de outras vacinas.
Via de Aplicação Subcutânea.

HPV (3 doses)

O HPV é um vírus que se associa na vida adulta com maior chance de verrugas ou câncer de colo uterino. Atualmente existe vacina que pode proteger contra essa infecção. Ela deve ser feita antes do contato com o vírus. A vacina pode ser feita em meninos e meninas a partir dos 9 anos de idade. A vacina é de aplicação intramuscular e deve ser feita em 3 doses com intervalo máximo de 180 dias.

Gripe (Reforço anual)

Protege de alguns tipos de vírus que causam a gripe. Como esses vírus sofrem modificações, a vacina deve ser feita em 2 doses aos 6 e 7 meses e repetida anualmente. É produzida com vírus morto.

11 anos

Gripe (Reforço anual)

Protege de alguns tipos de vírus que causam a gripe. Como esses vírus sofrem modificações, a vacina deve ser feita em 2 doses aos 6 e 7 meses e repetida anualmente. É produzida com vírus morto.

Antimeningocócica ACWY

A doença meningocócica é transmitida por um grupo de bactérias chamadas meningococos – daí a origem do nome meningocócica.

Ela provoca uma inflamação na membrana que envolve o cérebro e a medula espinhal (meninge). Repentina e de rápida evolução, pode levar à morte entre 24 e 48 horas a partir do aparecimento dos primeiros sintomas – fraqueza, febre, dor de cabeça, vômitos e, mais tarde, rigidez na nuca, sintomas que são inespecíficos e podem se confundir com os de outras doenças como viroses, por exemplo.

Quando o desfecho não é fatal, podem ocorrer sequelas tais como danos cerebrais, dificuldades no aprendizado, perdas de membros e da audição.

A vacina meningocócica ACWY foi desenvolvida para proteger contra quatro dos cinco principais sorogrupos responsáveis pela doença meningocócica invasiva, a forma mais grave da doença, sendo fatal em 10% dos casos em centros de excelência no mundo, mas que pode chegar a uma mortalidade de até 40%. A vacina pode ser aplicada em crianças, adultos e adolescentes a partir de 2 meses de idade.

15 anos

Dupla adulto(dT) ou dTpa (1º dose)

É uma vacina contra difteria e tétano (dT) ou difteria, tétano e coqueluche (dTPa) “acelulares”. A retirada desse (acelular) componente da vacina reduz a chance de ocorrência de reações adversas como dor no local da aplicação e febre. Trata-se de uma vacina utilizada em adolescentes a partir dos 14 anos, com reforço a cada 10 anos.

Antipneumocócica conjugada (Reforço)

Protege contra o pneumococo, bactéria que causa meningite e pneumonia. A vacina conjugada é feita com 13 sorotipos de pneumococo. Deve ser administrada em 3 doses e Reforços.

Gripe (Reforço anual)

Protege de alguns tipos de vírus que causam a gripe. Como esses vírus sofrem modificações, a vacina deve ser feita em 2 doses aos 6 e 7 meses e repetida anualmente. É produzida com vírus morto.